Pesquisar

Guimarães ficou em 5º lugar na lista de 13 cidades avaliadas na candidatura a Capital Verde Europeia 2020

Verde 1 690 2000
27 Abril 2018

Candidataram-se 17 cidades, mas apenas 13 foram finalistas! Relatório técnico do Júri da Candidatura a Capital Verde Europeia 2020 avaliou Guimarães como sendo a 5ª melhor candidatura, superando em alguns indicadores as 3 cidades que fazem parte da “shortlisted”.

Guimarães foi a quinta cidade que teve melhor avaliação por parte da Comissão Europeia na primeira candidatura que apresentou ao título de Capital Verde Europeia, tendo ficado muito perto de integrar a “shortlisted”, de onde sairá no mês de junho próximo o nome da cidade que será Capital Verde dentro de dois anos.

Depois de conhecido o relatório final de avaliação da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, elaborado pelo secretariado da Capital Verde Europeia, pelo RPS Group Limited, empresa irlandesa de consultadoria na área da comunicação e ambiente, com o contributo de um painel de peritos, sabe-se que apenas 4 cidades estiveram melhor do que Guimarães, que se classificou, no seu primeiro ano como cidade candidata, entre as 5 melhores de entre as 13 candidaturas avaliadas.

Numa análise global, Guimarães foi a segunda melhor cidade (das 13 concorrentes) nas áreas de indicador “Alterações climáticas: adaptação”, “Natureza e Biodiversidade”, “Perfomance energética” e “Governança” e foi a terceira melhor cidade no “Ruído”. Em relação às cidades que foram “shortlisted”, Guimarães ficou próxima nos seguintes indicadores: “Alterações climáticas: mitigação” (à frente de Lathi), “Qualidade do ar” (à frente de Lisboa), “Crescimento verde e eco-inovação” (a seguir a Ghent). Com menor desempenho, registe-se a 6ª posição na área “Resíduos”, a 8ª posição na “Mobilidade sustentável” e a 11ª posição no “Uso sustentável do Solo” e “Água”.

Dos dados que constam do relatório, tendo como base as 12 áreas de avaliação, conclui-se que Guimarães obteve melhor classificação em metade dos indicadores avaliados, tendo sido superior nas áreas “Alterações climáticas: adaptação”, “Natureza e Biodiversidade”, “Qualidade do ar”, “Ruído”, “Perfomance energética” e “Governança”. Guimarães ficou a curta distância nas áreas “Alterações climáticas: mitigação”, “Resíduos” e “Crescimento verde e eco-inovação”.

No último dia 18 de abril, a Comissão Europeia tornou pública a lista final de cidades candidatas ao título de Capital Verde Europeia 2020, ficando a saber-se que Guimarães não integrava essa lista, de apenas 3 cidades, onde se inclui a capital portuguesa, Lisboa. Ainda assim, Daniel Calleja, Diretor Geral para o Ambiente da Comissão Europeia, em missiva dirigida a Domingos Bragança, felicitou Guimarães pelo excelente trabalho realizado, referindo que alguns exemplos do trabalho realizado ao longo dos últimos anos, em matéria de desenvolvimento sustentável, seriam publicados no site oficial da Capital Verde Europeia, fazendo igualmente votos para que Guimarães apresentasse, no futuro, uma nova candidatura.

“Se dúvidas houvesse em relação à qualidade do trabalho que tem vindo a ser feito no nosso Concelho, ao nível do desenvolvimento sustentável, este relatório dissipá-las-ia por completo. Quero destacar o carácter independente desta avaliação, o que prova a seriedade e competência de todos quantos se envolveram neste caminho, com especial destaque para todos os Vimaranenses”, afirmou Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, que deixa uma mensagem para o futuro. “Convido todos os Vimaranenses para continuarem a trilhar o caminho do desenvolvimento sustentável. Esta é uma convicção que deve ser de todos nós e que agora se vê reforçada pelos dados que nos chegam da Comissão Europeia e que nos deixam orgulhosos”.

Subscrever newsletter