Pesquisar

Investidores reconhecem condições de sucesso para investir em Guimarães

Foto1 openday 1 690 2000
15 Maio 2018

Presidente da Câmara Municipal de Guimarães destaca potencial industrial do concelho. Investimentos em curso ultrapassam os 80 milhões de euros.

Visita às empresas Polopiqué, DFAL, Nice World e Bolama, no âmbito da iniciativa “Open Day Investimento”, da Divisão de Desenvolvimento da Câmara Municipal de Guimarães, foi apenas uma mostra dos investimentos que estão a ser feitos no concelho.

Esta terça-feira, 15 de maio, o presidente da Câmara Municipal de Guimarães visitou algumas empresas que estão a inovar e a desenvolver novos investimentos no concelho potenciando a criação de postos de trabalho e, sobretudo, conferindo a aposta da dinamização económica. Neste momento estão em curso investimentos superiores a 80 milhões de euros.

Domingos Bragança enalteceu a “capacidade dos empresários”, sublinhando a ação da autarquia através da aposta na Divisão de Desenvolvimento Económico (DDE). “Há um contexto de proximidade entre a Câmara Municipal e os empresários, assim como há uma proximidade entre a Câmara e os institutos do saber e conhecimento. Criámos a Divisão Económica que está a fazer a diferença neste apoio constante aos empresários e a dar a conhecer a oportunidade de investir em Guimarães”, salientou o presidente da autarquia.

O presidente da Câmara salientou que “os investidores reconhecem que aqui, em Guimarães, encontram todas as condições para o sucesso dos seus investimentos”, apontando “a forte marca industrial” do concelho. “Guimarães é um território de grande capacidade e com trabalhadores especializados, um bom sistema de ensino e unidades de investigação implementadas. Há um forte interesse no investimento em Guimarães. É bom que isso aconteça, não apenas em Guimarães mas também no país, no âmbito do território ao nível do Quadrilátero, da CIM do Ave, para que os investimentos industriais se façam nesta região”, salientou.

Domingos Bragança fez um balanço “muito positivo” nesta visita às empresas e recordou o projeto da implementação de uma Academia Industrial “tendo em conta o empreendedorismo para o setor, através de várias unidades de desenvolvimento e investigação”.

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães aponta um “longo caminho” a desenvolver com o “apoio do Governo” e também uma ação concertada com a Universidade do Minho neste propósito. “Desejo que a Escola de Engenharia Têxtil da Universidade do Minho, sediada no polo de Azurém em Guimarães, seja uma escola têxtil de referência europeia. Temos um setor têxtil de referência europeu e queremos que a Escola de Engenharia Têxtil seja de referência. É necessário um forte investimento nesta escola para acolher estudantes na área da engenharia têxtil do país e de todo o mundo. Depois, é importante fazer a ligação deste conhecimento às empresas”, salientou o autarca.

A visita às empresas contou com as representações da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), ACIG (Associação Comercial e Industrial de Guimarães), CIM Ave, IEFP e Quadrilátero.

  • Lrg 18c05078 1 700 450
    Lrg 18c05078 1 139 90
  • Lrg 18c05107 1 700 450
    Lrg 18c05107 1 139 90
  • Lrg 18c05136 1 700 450
    Lrg 18c05136 1 139 90
  • Lrg 18c05338 1 700 450
    Lrg 18c05338 1 139 90
  • Lrg 18c05305 1 700 450
    Lrg 18c05305 1 139 90
  • Lrg 18c05390 1 700 450
    Lrg 18c05390 1 139 90
  • Bolama 18c05485 1 700 450
    Bolama 18c05485 1 139 90
  • Bolama 18c05512 1 700 450
    Bolama 18c05512 1 139 90
  • Bolama 18c05501 1 700 450
    Bolama 18c05501 1 139 90
Subscrever newsletter