Pesquisar

Enquadramento

É para todos razoável a necessidade de reduzir o consumo, reduzir a emissão de gases, reduzir o ruído, reduzir a produção de resíduos, enfim, reduzir a PEGADA ecológica. Essa necessidade, já não parte apenas dos cidadãos, da base para o topo, mas também parte das grandes organizações, vertidas nas decisões e nos documentos estratégicos, como é Agenda 2020 – menos 20% de emissões de gases – 20% de energias renováveis – menos 20% de consumo energético – redução de 20 milhões pessoas em risco de pobreza, consubstanciada nos Programas Europa 2020 e Portugal 2020.

Estes são também objetivos do milénio, descritos no documento estratégico da ONU, no qual coloca na 7ª meta, Garantir a Sustentabilidade Ambiental.
Por outro lado, Guimarães tem vindo apostar num percurso direcionado para a sustentabilidade ambiental e para as politicas de ambiente, integradas no desenvolvimento económico, cultural e urbano. Prova disso, foi a sua aposta ao longo dos anos na criação dos Parques Verdes e da Horta Pedagógica, agora rede Municipal de Hortas Comunitárias, bem como o recente investimento no Laboratório da Paisagem e na parceria para o seu funcionamento com a Universidade do Minho, com o objetivo de proporcionar uma melhor qualidade de vida dos seus munícipes.

Acrescentar, o facto de Guimarães estabelecer o desígnio de candidatar o Município a Capital Verde Europeia, coloca como essencial a necessidade de introduzir uma cultura e uma educação para o ambiente, envolvendo toda a comunidade e com uma grande capacidade de agregação e de mobilização, em torno de um objetivo comum – reduzir a nossa PEGADA ecológica e aumentar o bem-estar da população.

Assim, considerando a adesão das escolas do concelho de Guimarães ao Programa Eco-Escolas, bem como os resultados atingidos e o envolvimento da comunidade escolar, verificado ao longo dos anos de todo positivo, entendeu-se ser necessário alargar esta boa prática, criando um programa especifico para o Concelho, permitindo ser mais abrangente e mais participativo pelas restantes escolas.

Objetivos
O seguinte programa tem como objetivo principal educar e sensibilizar a comunidade educativa para o ambiente e para as politicas de desenvolvimento eco-sustentável.

Como objetivos específicos o Programa deverá:
• Ser transversal em termos de temáticas para o ambiente e a sustentabilidade;
• Ser inclusivo em termos de comunidade educativa;
• Ser abrangente em termos de parcerias e outros programas conexos, como por exemplo o eco-escolas;
• Ser agregador e impulsionador de comportamentos e práticas ecológicas;
• Contribuir para a mudança de paradigma e atitudes quotidianas da comunidade;
• Contribuir para a mobilização de pessoas e entidades públicas e privadas;
• Promover o conceito de concelho ecológico e sustentável;
• Criar uma ligação próxima com o património, material e imaterial, cultural e turístico de Guimarães;
• Contribuir para os objectivos da Agenda 2020.

Público-Alvo
Este programa será aberto a todas as escolas públicas e privadas do Concelho de Guimarães, tendo como públicoalvo toda a comunidade educativa.

Ações exemplo
• Criação de Brigadas do Ambiente nas Escolas, passando por um registo municipal;
• Organização de atividades de sensibilização e consciencialização ambiental;
• Organização de concursos de ideias nas mais diversas áreas (mascote ecolino; fotografia, desenho, projetos, etc);
• Organização de Campos de Férias Ecológicas, Eco-Sustentáveis ou Ambientais;
• Organização de um Eco-Parlamento;
• Ações de Formação para Educadores na área do Ambiente;
• Organização de atividades com objetivos de redução de consumos e poupança de recursos (energia, água, resíduos, etc)
• Organização de atividades de mapeamento ambiental, através do registo de espécies ao nível da flora e fauna;
• Organização de atividades de levantamento de dados ao nível do ambiente urbano;
• Ligação aos projetos e atividades do Programa Eco-Escolas e com todos os outros similares na área da energia, proteção civil, agricultura, resíduos, etc.
• Criação de um prémio à(s) escola(s) mais eco-sustentável (estabelecer critérios e regulamento para concurso);
• Atribuição de prémio de mérito ao melhor aluno de Biologia (Secundário) ou Ciências da Natureza (Básico);
• Criação de um protocolo especifico entre a CMG e a Escola de Ciências e de Engenharia da UM, com intuito de criar uma maior proximidade entre os alunos do secundário e os cursos na área ambiental;
• Envolvimento dos Seniores 65+ no PEGADAS;
• Uma Feira/Festa do Ambiente no final de cada ano lectivo;
• Comemoração dos dias temáticos;
• Desenvolvimento de parcerias locais, para a criação de atividades artísticas, sociais e desportivas, ligadas ao ambiente e desenvolvimento sustentável (Ex: Peça de Teatro, Espetáculos de Dança, Atividades Desportivas, Percursos Pedestres, oficinas de reciclagem de materiais e equipamentos; etc).

Subscrever newsletter