Viver
Pesquisar

Festas Gualterianas

As Festas Gualterianas, celebradas em honra de São Gualter, realizam-se em Guimarães desde 1906, sempre no primeiro fim de semana de agosto. Milhares de vimaranenses e visitantes marcam encontro na cidade onde nasceu Portugal para participarem nos diferentes números que fazem parte das nossas Gualterianas: Cortejo do Linho, Batalha das Flores, Marcha Gualteriana, entre outros.

O desfile de carros alegóricos, ponto sempre alto das Festas da Cidade, começou em 1906. No ano seguinte, a Marcha voltou a sair à rua, sob a denominação de "Milaneza", promovida por comerciantes em homenagem à Associação Comercial e Industrial de Guimarães, inspirada por Padre Gaspar Roriz, fervoroso entusiasta das Festas Gualterianas, que organizou a iniciativa em parceria com José Pina.

Com um espírito bairrista e apelando sempre ao empenho e dedicação dos Vimaranenses, a Marcha só adotaria o nome de Gualterianas em 1932. Antes disso, por ocasião da 1ª Guerra Mundial, o desfile não saiu, o mesmo acontecendo em 1925 e, na década 30, entre 1934 e 1937.

No ano seguinte, em 1938, as Festas Gualterianas voltaram a ser organizadas pela Câmara Municipal de Guimarães, repetindo-se a experiência de 1932, ano em que a Autarquia e os trabalhadores do comércio assumiram a organização do evento.

Na década de 60, foi adquirido um imóvel onde ainda hoje está situada a sede dos obreiros da Casa da Marcha, atualmente designada de Associação Artística da Marcha Gualteriana.

Nos anos 70, uma edição da Marcha desfilou no então Estádio Municipal numa solução alternativa para evitar nova ausência no cartaz das Festas. Contudo, na década 80, voltou a não sair à rua.

Com maiores ou menores dificuldades, a Marcha chegou aos nossos dias com uma marca de qualidade que há muito ultrapassou fronteiras. Ao longo dos anos, com muito entusiasmo e a força de vontade que caracterizam os Vimaranenses, a Marcha Gualteriana constitui a “joia” da coroa das Festas da Cidade de Guimarães.

Subscrever newsletter